sábado, 9 de julho de 2011

A Bíblia (2ª parte)

                                                Os Manuscritos.
 Manuscrito é uma palavra de origem latina, o mesmo que (Manus)  mão e (Scriptus) escrito, logo sub-se entende que manuscritos é o mesmo que " O que foi escrito a mão" no que se refere à Bíblia, um manuscrito é "Um documento altamente confiável, que foi escrito a mão". Nos tempos passados, todos os ducumentos eram copiados ou seja escritos a mão, tal como eles, os textos bíblicos chegou até a nós através dos manuscritos.
     a)  Material em que eram feitos. (1º papiro)  Papiro (pelo latim papyrus do grego antigo πάπυρος) é, originalmente, uma planta perene da família das ciperáceas, que atinge de 2 a 4 metros de altura, cujo nome  científico éCyperus papyrus, por extensão é também o meio físico usado para a escrita (precursor do papel) durante a Antigüidade (sobretudo no Antigo Egipto, civilizações do Oriente Médio, como os hebreus e babilônicos, e todo o mundo greco-romano).
O papiro é obtido utilizando a parte interna, branca e esponjosa, do caule do papiro, cortado em finas tiras que eram posteriormente molhadas, sobrepostas e cruzadas, para depois serem prensadas. A folha obtida era martelada, alisada e colada ao lado de outras folhas para formar uma longa fita que era depois enrolada. A escrita dava-se paralelamente às fibras. os manuscritos assim ganhavam vida.
    b) (2º pergaminho)  Pergaminho (do grego pergaméne e do latim pergamina ou pergamena), é o nome dado a uma pele de animal, geralmente de cabracarneirocordeiro ou ovelha, preparada para nela se escrever. Designa ainda o documento escrito nesse meio. O seu nome lembra o da cidade grega de Pérgamo, na Ásia Menor, onde se acredita possa ter se originado ou distribuído. De acordo com Plínio, o nome pergaminho teve origem com o acontecimento que se deu com o rei de Pérgamo uma das sete cidades descritas em Apocalipse capitulo 2 e 3, o rei Eumenis II aproximadamente em 160 aC, planejou  formar uma biblioteca maior que a de Alexandria, no Egipto, o rei do Egipto não gostou da ideia e proibiu a exportação de papiro para Pérgamo, obrigando assim Eumenis II a recorrer ao processo de preparar peles para escrita. Isto promoveu o surgimento de um novo método de prepará-las tão aperfeiçoado que a cidade -estado deu nome ao pergaminho.         

O mesmo, quando feitos de peles delicadas de bezerros ou cordeiros, eram chamados de velino. Estas peles davam um material de escrita fino, macio e claro, usado para documentos e obras importantes.
Esse importante suporte da escrita também foi largamente utilizado na antiguidade ocidental, em especial na Idade Média, até a descoberta e consequente difusão do papel uma invenção dos chineses.
Nos mosteiros cristãos eram mantidas bibliotecas de pergaminhos, onde monges letrados no período, se dedicavam à cópia de manuscritos antigos, devendo-se a essa atividade monástica a sobrevivência e divulgação dos textos clássicos da cultura grega e latina no Ocidente, principalmente à época do Império Bizantino.
Na atualidade o pergaminho é utilizado para a confecção de diplomas universitários, títulos e letras do Tesouro Nacional por ser considerado um material difícil de ser falsificado, graças às nuances naturais e à sua grande durabilidade. Se antigamente essa matéria-prima era distribuída apenas por algumas empresas da Europa, hoje na Região Nordeste do Brasil converteu-se em expressiva fonte de renda, auxiliando a economia local.

2 comentários:

Everson disse...

BENÇA PURA MEU PASTOR!

Elias Domingos disse...

Querido Everson, a paz do Senhor é um prazer ter você comentando neste blog, fico feliz, um grande abraço de seu amigo.